A candidatura da 4ª fase de Requalificação da Fortaleza foi aprovada e as obras devem avançam no espaço de um mês, com a duração de um ano e com um valor de investimento de 1 milhão e oitocentos e quarenta e sete mil euros.

Esta obra fecha o ciclo de intervenções no espaço público urbano do Centro Histórico que começou em 2004 e que, com esta fase, implicou um investimento superior a 8,5 milhões de euros.

Com esta empreitada o espaço público da Fortaleza, intramuros, fica completamente remodelado, no que toca às infraestrutura, desenho e funcionalidades das ruas e pracetas. Uma obra que eliminará definitivamente os cabos elétricos e de telefones suspensos e as antenas recuperando a zona histórica uma matriz mais original.

As infraestruturas passam todas para as galerias técnicas, ganhando esta área da Fortaleza novos serviços como a tvcabo e o gás.

Estacionamento ordenado, mais espaços verdes, circuitos pedonais nos topos da muralha, novo mobiliário urbano serão algumas das notas da obra, adaptando os conceitos base já estabelecidos nas intervenções anteriores, no Centro Histórico e contam com o cunho do arquiteto Eduardo Souto Moura.

A obra vai incidir na parte norte da Fortaleza, na área compreendida entre a rua José Augusto Vieira, o largo Visconde de Guaratiba, a rua de São Francisco, a rua Maestro Sousa Morais, calçada da Gaviarra e a zona envolvente à Igreja da Colegiada de Santo Estêvão. Os Largos Visconde da Guaratiba e a zona envolvente à Igreja da Colegiada de Stº Estêvão vão ganhar outro figurino. Está programado o surgimento de uma nova praceta na confluência das ruas de São Francisco, com as ruas da Trindade e do Maestro Sousa Morais.

Esta obra vai ser financiada pelo programa comunitário Norte 2020 em 85%.

Partilhar:

Deixe uma mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*